Em Estresse

Não é novidade que produtividade é uma das palavras mais famosas quando o assunto é mercado de trabalho. Desde que o modelo de linha de produção nasceu no começo do século passado, as empresas desenvolvem processos mais produtivos e também buscam por profissionais que ofereçam a melhor produtividade, essa cobrança por produtividade extrema pode gerar estresse no trabalho.

Hoje em dia, a produtividade continua sendo palavra de ordem nas empresas e modelos como a “metodologia agile” e o “scrum” são as grandes novidades e que estão sendo implantados por grandes corporações multinacionais. Tudo para tornar os projetos mais ágeis e produzir mais em menos tempo.

Brasileiros no topo da lista

A questão é que a exigência por tanta produção tem um custo aos profissionais: o estresse. De certa maneira, todos nós somos afetados por uma certa carga de estresse e, normalmente, sabemos lidar bem com isso. O problema é que alguns profissionais recebem uma pressão mental tão grande que o corpo, literalmente, entra em colapso.

A Associação Internacional do Controle do Estresse (International Stress Management Association) realizou uma pesquisa e concluiu que o Brasil está

Estresse no trabalho

na segunda posição do ranking de países com o maior nível de estresse no trabalho. O levantamento apontou que 3 a cada 10 profissionais brasileiros sofreram esgotamento mental intenso por pressões no ambiente profissional, condição que também é conhecida como síndrome de burnout.

Sindrome de burnout

A síndrome de burnout acontece em consequência do alto nível de estresse no trabalho, em profissionais que sofrem muita pressão e que estão em posições altamente competitivas. Também se dá nos trabalhadores em condições ruins de trabalho, com elevada carga horária, com pouco tempo para o lazer, que recebem baixa remuneração e que não são reconhecidos pelo seu trabalho.

Estresse no Trabalho

Veja quais são os principais sintomas de estresse no trabalho:

– Estar sempre cansado, indisposto e sem vontade de sair da cama;
– Sentir dor de cabeça com frequência;
– Modificações no apetite;
– Dificuldade para dormir;
– Sentir-se fracassado e sem esperança;
– Não cumprir as demandas do trabalho;
– Vontade de ficar isolado.

Ao identificar alguns desses sintomas de estresse no trabalho, é muito importante procurar ajuda de um profissional da psicologia. Se a síndrome de burnout não for tratada no início, ela pode desencadear uma depressão grave. Além disso, caso você esteja em um emprego muito estressante, que esteja prejudicando sua qualidade de vida, analise o que é possível fazer para mudar a situação. Coloque sua saúde sempre em primeiro lugar.

Entre em contato conosco e saiba mais como encarar o estresse no trabalho.

Posts recentes

Deixe um comentário